2019 / 12 / 12         15~23°C         45~85%
A operação do aeroporto requer técnicas profissionais e instalações de software e harware de segurança, enquanto a qualidade dos serviços prestados aos usuários do aeroporto deve seguir os padrões reconhecidos internacionalmente. Para dominar plenamente a tendência de desenvolvimento internacional, e aprender o padrão de gestão excelente dos parceiros da mesma área, bem como manter actualizado e evitar o risco de ser marginalizado, a CAM tem participado activamente nas plataformas de cooperação internacional e regional, incluindo o Conselho Internacional de Aeroportos (ACI) do nível internacional, a Aliança de Aeroportos da Ásia Oriental (EAAA) ,Associação de Aeroportos Civis da China (CCAA) ,do nível regional e a Reunião Regional do Fórum dos Cinco Principais Aeroportos(A5). Além disso, a CAM também se concentra nas suas próprias vantagens para construir a uma aliança de aeroportos, no intuito de unir a indústria e criar uma plataforma para troca de informações, de intercâmbio e cooperação. Assim, a CAM tem realizada a geminação com vários pequenos e médios aeroportos nacionais e internacionais, e organiza regularmente a Conferência de Aeroportos da China e dos Países de Língua Portuguesa em Macau, para construir uma plataforma de intercâmbio e cooperação entre a China Continental, Portugal e Macau.

Plataforma de Cooperação da Aviação Civil Portuguesa Chinesa

O governo da RAEM tem empenhado em promover a relação entre os países de língua portuguesa, da UE e o Interior da China. O Aeroporto Internacional de Macau tem uma relação bastante histórica com a cooperação sino-lusófona, e a construção do aeroporto é exactamente um resultado da amizade tradicional e da boa cooperação entre a China e Portugal. O Aeroporto Internacional de Macau tem desempenhado sempre um papel de explorador activo e trabalhador na cooperação a longo prazo entre os aeroportos da China e dos países de língua portuguesa. Uma década atrás, quando a República Democrática de Timor-Leste foi fundada, o Aeroporto Internacional de Macau já deu todo o apoio em economia e técnica, para que a gestão de aeroporto e o gerenciamento de tráfego aéreo de Timor-Leste pudessem desenvolver com êxito.

O Aeroporto Internacional de Macau em desenvolvimento nunca parou os trabalhos de ajudar a comunicação entre o Interior da China, os países de língua portuguesa e UE. Em 2003, após a apresentação da CAM, a Administração da Aviação Civil da China (CAAC) – Administração da Região Norte da China assinou um memorando de cooperação com a Navegação Aérea de Portugal. Ambas as partes concordaram em reforçar a cooperação técnica e operacional na gestão do tráfego aéreo, e fornecer serviços relevantes, no intuito de desenvolver e inovar em conjunto a forma e eficiência da gestão do tráfego aéreo, bem como construir a parceria sino-lusófona em desenvolver a gestão do espaço aéreo e a cooperação do sistema de controlo do tráfego aéreo.

Realização da “Conferência de Aeroportos da China e dos Países de Língua Portuguesa”

Para reforçar a comunicação e o contacto entre a China e os países de língua portuguesa, bem como promover a cooperação entre vários aeroportos, a “1ª Conferência de Aeroportos da China e dos Países de Língua Portuguesa” teve lugar de 7 a 10 de Dezembro de 2004, que foi organizada conjuntamente pela CAM, pelo governo da REAM e pelo Gabinete de Apoio ao Secretariado Permanente do Fórum para a Cooperação Económica e Comercial entre a China e os Países de Língua Portuguesa, e co-organizada pela Autoridade de Aviação Civil. Os convidados de honra incluíram o Chefe do Executivo da RAEM, Dr. Edmond Ho, o vice-director do Gabinete de Ligação do Governo Central na RAEM, Sr. He Xiaowei, o vice-ministro da CAAC, Sr. Gao Hongfeng, etc.

Na conferência, foram discutidos seguintes temas: planeamento de desenvolvimento de infra-estrutura de aeroportos, investimento e privatização de aeroportos, eficiência operacional e gestão, segurança e entre outros, com um total de 19 palestrantes profissionais da China e dos países de língua portuguesa. Em termos aos convidados, como foi uma conferência muito profissional, participaram cerca de 100 representantes dos aeroportos e das administrações de aviação civil da China, Portugal, Brasil, Angola, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Timor-Leste e Macau.

A “2ª Conferência de Aeroportos da China e dos Países de Língua Portuguesa – Macau 2007” teve lugar de 6 a 8 de Dezembro. A conferência foi organizada pela CAM, e co-organizada pelo Gabinete de Apoio ao Secretariado Permanente do Fórum para a Cooperação Económica e Comercial entre a China e os Países de Língua Portuguesa, pela Autoridade de Aviação Civil de Macau, pela Direcção dos Serviços de Turismo de Macau, pelo Instituto de Promoção do Comércio e do Investimento de Macau e pelo Instituto de Aviação Civil de Macau. Foram convidados especialistas de vários lugares para discutir e intercambiar de forma profunda sobre quatro temas, nomeadamente, (1) mecanismo de operação de aviação civil e gestão do espaço aéreo, (2) operação e desenvolvimento de aeroportos e empresas aéreas, (3) cooperação na aviação civil entre a China e os países de língua portuguesa, (4) infra-estrutura de aeroportos. Durante a reunião, para estabelecer a relação entre os participantes e fornecedores, foi realizada ao mesmo tempo a exposição sob o tema “indústria da aviação civil”, para divulgar os produtos e serviços da indústria. Além disso, para colaborar com a divulgação do Dia de Aviação de Macau, todos os participantes foram convidados para participar das actividades relevantes organizadas pela Autoridade de Aviação Civil de Macau.

A “3ª Conferência de Aeroportos da China e dos Países de Língua Portuguesa – Macau 2010” teve lugar de 8 a 9 de Dezembro, que foi organizada conjuntamente pela CAM, pelo Fórum para a Cooperação Económica e Comercial entre a China e os Países de Língua Portuguesa (Secretariado Permanente), co-organizada pela Autoridade de Aviação Civil de Macau e pelo Instituto de Aviação Civil de Macau. A actividade foi financiada pela Fundação de Macau e apoiada pela Direcção dos Serviços de Turismo de Macau e pelo Instituto de Promoção do Comércio e do Investimento de Macau. A empresa aérea local – Air Macau foi indicada como a empresa aérea oficial da conferência. A Conferência focalizou-se em três temas: “Regulamentação, coordenação do espaço aéreo e sistema de quadro de cooperação”, “aeroportos, empresas aéreas e parcerias mundiais” e “Desenvolvimento de aeroportos, inovação e novas tecnologias”, envolvendo os departamentos governamentais, aeroportos, empresas aéreas, transporte e logística, gestão do tráfego aéreo, tecnologia de informação de engenharia, etc.

Além disso, durante a reunião, para alcançar os resultados práticos de cooperação, foram assinados cinco acordos e memorandos de cooperação, entre eles, a CAM assinou respectivamente uma carta de intenção com a NAV e a ANA; a Administração da Região Leste da CAAC assinou uma carta de intenção com a ANA e a CAM na área de programas de formação; a Administração da Região Central e Sul assinou memorando de cooperação com a ANA e a CAM sobre os programas de formação. Através da assinatura dos acordos, o espaço de cooperação entre os aeroportos da China e de Portugal ia ser mais amplo, e no futuro, os locais de formação dos profissionais aeroportuários iam ser expandidos de Macau e Portugal a outros países de língua portuguesa. Ao mesmo tempo, a CAM também assinou uma carta de intenção com a Companhia Nacional de Abastecimento de Combustível para Aviação Limitada., no intuito de garantir ainda a operação segura do Aeroporto Internacional de Macau.

A “4ª Conferência de Aeroportos da China e dos Países de Língua Portuguesa – Macau 2013” teve lugar de 25 a 26 de Setembro de 2013, que foi organizada pela CAM e co-organizada pela Autoridade de Aviação Civil de Macau e pelo Instituto de Aviação Civil da RAEM. A Conferência recebeu grande apoio de King Power Duty Free (Macau) Co., Ltd. e da Direcção dos Serviços de Turismo da RAEM, bem como patrocínio especial da ANA (Aeroportos de Portugal), de JCDecaux Macau, da Companhia de Serviços de Aeroporto Menzies Macau Limitada., do Banco da China – Sucursal de Macau e da Companhia de Produtos Químicos e Petrolíferos Nam Kwong, Limitada. A Conferência aplicou o espírito inovador do Aeroporto Internacional de Macau, para criar oportunidades de nova cooperação e desenvolvimento na gestão de aeroportos, construção, operação e tráfego aéreo. Quarto temas foram discutidos na reunião, incluindo: 1. Coordenação e desafios em gestão de tráfego aéreo; 2. Desenvolvimento sustentável de aeroportos; 3. Desenvolvimento de aviação executiva e 4. Promoção de negócios pela colaboração e inovação.

À medida que se reforça o papel de Macau como uma plataforma de aeroportos entre a China e os países de língua portuguesa, o Aeroporto Internacional de Macau tem explorado activamente a cooperação na área de aviação ao longo dos anos, especialmente na cooperação e no intercâmbio com a indústria de aviação. Esta vez, foram convidados dirigentes das empresas relacionadas à aviação, dos aeroportos e das empresas aéreas para fazer intercâmbio, a fim de promover os conhecimentos das agências participantes sobre as condições da indústria, o desenvolvimento de projectos e as oportunidades de cooperação.

Sair - Estabelecimento do mecanismo de cooperação na formação entre a China e Portugal

Desde a primeira conferência realizada em 2004, a CAM tem explorado de forma activa o espaço de cooperação entre a China, Macau e Portugal na área de aviação, bem como dado financiamento e apoio para promover os programas de formação do pessoal de gestão de aeroporto e de controlo do tráfego aéreo dos três lugares. Isso reforça a cooperação dos três lugares na indústria e nos departamentos de aviação civil, de modo que o governo da REAM possa desempenhar a sua própria vantagem de plataforma, para deixar os departamentos de controlo do tráfego aéreo da China e de Portugal aprofundarem mutuamente os conhecimentos, que cria uma base sólida para a futura cooperação dos dois lados na aviação civil e nas outras áreas relevantes.

Ao longo dos anos, a CAM tem cooperado com a instituição portuguesa de aviação civil, e estabelecido um mecanismo de cooperação na área relevante entre a China e Portugal, desempenhando plenamente e implementando o papel e a função de Macau como plataforma entre a China e os países de língua portuguesa. Tem patrocinado e organizado o pessoal de gestão de aeroporto e do controlo do tráfego aéreo de Macau e do Interior da China para frequentar formação técnica profissional em Portugal; através da cooperação com o Instituto de Gestão de Aviação Civil da China, além de enviar formandos para receber treinamento em Portugal, também organizou visita e intercâmbio com aeroportos que celebraram o acordo de geminação: o Aeroporto Internacional de Lisboa, o Aeroporto de Frankfurt e a Companhia de Seguros de Londres. De 2005 a 2015, com a organização do Aeroporto Internacional de Macau, foram realizados vários projectos de formação do pessoal entre a China, Portugal e Macau. Através da plataforma de cooperação, 533 pessoas (incluindo formandos da Administração das Regiões Norte, Leste, Central e Sul da CAAC, do Instituto de Gestão de Aviação Civil, e o pessoal de gestão e de controlo do tráfego aéreo do Aeroporto Internacional de Macau) foram beneficiados.

Convidar para entrar – Realização do Curso de Formação de Quadros Superiores da Gestão de Aeroporto dos Países de Língua portuguesa em Macau

Por razão da língua, cultura e história, Macau tem estabelecido uma ampla relação com os países de língua portuguesa através de vários canais. De 28 de Novembro a 4 de Dezembro de 2011, a CAM e o Secretariado Permanente do Fórum para a Cooperação Económica e Comercial entre a China e os Países de Língua Portuguesa (Macau) organizaram conjuntamente de novo o Curso de Formação de Quadros Superiores da Gestão de Aeroporto dos Países de Língua portuguesa em Macau, no intuito de desempenhar a função de Macau como uma plataforma de serviços entre a China e os países de língua portuguesa, e reforçar a cooperação e o intercâmbio na área de aviação civil, a fim de fornecer oportunidades aos formandos para compartilharem os conhecimentos profissionais e experiências, assim eles tornaram-se mais familiarizados com sistema de cada aeroporto, e estabeleceram uma rede profissional de pessoas.

O curso contou com a participação de 12 oficiais e especialistas relevantes de quatro países de língua portuguesa, nomeadamente, Angola, Cabo Verde, Timor-Leste e Guiné-Bissau. Durante o curso, os formandos discutiram os temas relacionados à aviação civil, incluindo organização e regulamentação da indústria de aviação civil, operação aeroportuária, marketing, segurança, manutenção, bem como as questões jurídicas, tecnologia informática, rede virtual e aplicativos em optimização e inovação dos serviços aeroportuários. No final, a CAM organizou os formandos para visitarem o Aeroporto Internacional de Macau, o Aeroporto Internacional Baiyun em Guangzhou, a Administração da Região Central e Sul da CAAC e a Administração do Tráfego Aéreo, que foram recebidos pelos dirigentes do nível mais alto. Durante a visita, foi mencionada a boa relação com Macau e a CAM, dando aos formandos estagiários a oportunidade de trocar ideias com os especialistas locais.

Após o curso, cada formando estagiário deu comentários positivos ao curso. O director do Aeroporto Internacional de S. Pedro, Cabo Verde, Sr. Nuno Évora Santos, proferiu um discurso em nome de todos os formandos na cerimónia de encerramento, afirmando que os objectivos do programa foram plenamente alcançados após o curso intensivo de cinco dias, “a experiência de estágio em Macau permitiu-nos conhecer a gestão de aeroporto mais avançada de cada país, aprender e adoptar a nova operação moderna e gestão, para melhorar a qualidade de serviço e eficiência das empresas aéreas, passageiros e clientes.”